Covid-19

Por conta da pandemia do COVID-19 não estamos atendendo vendas presenciais na loja física. Os pedidos devem ser feitos preferencialmente pela loja virtual ou caso haja alguma dificuldade pelo nosso WhatsAPP.

Como forma de compensar ampliamos nosso horário de atendimento: segunda a sexta das 8h às 18h e sábados das 8:30h às 14h. Estaremos disponibilizando a retirada do seu pedido na loja mediante agendamento. Nosso delivery esta funcionando 100%! 

Contamos com a compreensão de vocês e esperamos, juntos em breve, superar essa situação.

Bahia Malte Express

A Bahia Malte oferece um serviço de entrega rápido e eficiente para os cervejeiros dentro de Salvador e em cidades do interior. Coloque o seu pedido no carrinho, e faça a simulação inserindo o seu CEP. As taxas são reduzidas, e dependendo do valor da sua compra receberá a opção de FRETE GRÁTIS !!! Você pode pedir por telefone ou Whats App também !!! Aguardamos vocês !!!

Atendimento Personalizado

A Equipe Bahia Malte é capacitada e oferece o atendimento que você precisa, seja você um cervejeiro caseiro ou uma cervejaria. São cervejeiros experientes e estão preparados para tirar todas as suas dúvidas e auxiliar com as melhores soluções. Entre em contato!. Será um grande prazer conhecer você e te ajudar. Vamos te orientar com os itens realmente necessários para você fazer cerveja. Além disso temos várias receitas prontas e podemos ajudar você a criar uma na hora.

Comece a fazer cerveja!

R$395,00

Em até 3x de R$131,67 s/ juros

ou R$379,20 à vista

R$659,00

Em até 6x de R$109,83 s/ juros

ou R$632,64 à vista

R$1.765,95

Em até 6x de R$294,33 s/ juros

ou R$1.695,31 à vista

R$699,90

Em até 6x de R$116,65 s/ juros

ou R$671,90 à vista

Escolha sua receita

R$111,10

ou R$106,66 à vista

R$220,81

Em até 2x de R$110,41 s/ juros

ou R$211,98 à vista

R$148,93

ou R$142,97 à vista

R$248,90

Em até 2x de R$124,45 s/ juros

ou R$238,94 à vista

R$173,32

ou R$166,39 à vista

R$124,28

ou R$119,31 à vista

R$106,84

ou R$102,57 à vista

R$166,00

ou R$159,36 à vista

R$85,17

ou R$81,76 à vista

R$159,66

ou R$153,27 à vista

R$71,71

ou R$68,84 à vista

R$90,03

ou R$86,43 à vista

R$166,00

ou R$159,36 à vista

R$104,83

ou R$100,64 à vista

R$64,06

ou R$61,50 à vista

R$60,33

ou R$57,92 à vista

R$100,51

ou R$96,49 à vista

R$59,22

ou R$56,85 à vista

R$96,87

ou R$93,00 à vista

Divirta-se com a linha BM KEG

R$429,00

Em até 4x de R$107,25 s/ juros

ou R$411,84 à vista

R$749,00

Em até 6x de R$124,83 s/ juros

ou R$719,04 à vista

R$555,00

Em até 5x de R$111,00 s/ juros

ou R$532,80 à vista

R$165,00

ou R$158,40 à vista

R$795,00

Em até 6x de R$132,50 s/ juros

ou R$763,20 à vista

R$690,00

Em até 6x de R$115,00 s/ juros

ou R$662,40 à vista

R$699,00

Em até 6x de R$116,50 s/ juros

ou R$671,04 à vista

R$549,00

Em até 5x de R$109,80 s/ juros

ou R$527,04 à vista

Você faz cerveja? Pretende aprender? Hoje é a vez de falarmos um pouco sobre as leveduras, afinal, são elas que fazem a cerveja né?

A escolha da levedura é um fator fundamental no resultado final.
Ao longo de séculos, as leveduras foram isoladas e cultivadas em cada região do mundo, e como consequência surgiram dezenas de variedades com características bastante distintas entre elas. 
Por tanto mais uma vez a recomendação é buscar uma cepa tradicionalmente utilizada na região de origem do estilo. Cervejas como Weiss ou Saison por exemplo, precisam ser fermentadas por leveduras apropriadas para obter o perfil característico do estilo. 
Você pode dividir levas em dois fermentadores e usar uma levedura diferente em cada um deles para testar e conhecer as cepas comparando-as.
A levedura tem grande contribuição no perfil de aroma, sabor e aparência. Podem produzir uma cerveja neutra de ésteres ou bastante complexa. Escolham a levedura correta para o estilo desejado, se o estilo desejado pede ésteres, escolha cepas que os produzam. Se o estilo pede que os lúpulos sejam protagonistas, como as Ipas por exemplo, opte por uma levedura neutra.

É difícil falar de receita sem comentar um pouco sobre o processo de fermentação. O mais importante é: Faça um planejamento antes de escolher a levedura.

Procure entender as condições ideais para a levedura escolhida. As Lagers pedem temperaturas entorno de 10C e costumam demorar mais para fermentar, as Ales pedem algo entorno de 18C. Pense em como resfriará o mosto para a temperatura de fermentação e como fará para mantê-la por alguns dias. Evite temperaturas muito acima da recomendada, poderá gerar compostos indesejados. Quanto menor a variação térmica ao longo da fermentação, melhor o resultado. Portanto, quando escolher a levedura, confira se seu equipamento permite oferecer as condições ideais para ela, sobretudo no resfriamento do mosto e controle de temperatura de fermentação.

Infelizmente não podemos escrever muito aqui. Para ler o resto, visitem nosso blog: www.bahiamalte.com.br/blog/
Você faz cerveja? Pretende aprender? Hoje é a vez de falarmos um pouco sobre as leveduras, afinal, são elas que fazem a cerveja né? A escolha da levedura é um fator fundamental no resultado final. Ao longo de séculos, as leveduras foram isoladas e cultivadas em cada região do mundo, e como consequência surgiram dezenas de variedades com características bastante distintas entre elas. Por tanto mais uma vez a recomendação é buscar uma cepa tradicionalmente utilizada na região de origem do estilo. Cervejas como Weiss ou Saison por exemplo, precisam ser fermentadas por leveduras apropriadas para obter o perfil característico do estilo. Você pode dividir levas em dois fermentadores e usar uma levedura diferente em cada um deles para testar e conhecer as cepas comparando-as. A levedura tem grande contribuição no perfil de aroma, sabor e aparência. Podem produzir uma cerveja neutra de ésteres ou bastante complexa. Escolham a levedura correta para o estilo desejado, se o estilo desejado pede ésteres, escolha cepas que os produzam. Se o estilo pede que os lúpulos sejam protagonistas, como as Ipas por exemplo, opte por uma levedura neutra. É difícil falar de receita sem comentar um pouco sobre o processo de fermentação. O mais importante é: Faça um planejamento antes de escolher a levedura. Procure entender as condições ideais para a levedura escolhida. As Lagers pedem temperaturas entorno de 10C e costumam demorar mais para fermentar, as Ales pedem algo entorno de 18C. Pense em como resfriará o mosto para a temperatura de fermentação e como fará para mantê-la por alguns dias. Evite temperaturas muito acima da recomendada, poderá gerar compostos indesejados. Quanto menor a variação térmica ao longo da fermentação, melhor o resultado. Portanto, quando escolher a levedura, confira se seu equipamento permite oferecer as condições ideais para ela, sobretudo no resfriamento do mosto e controle de temperatura de fermentação. Infelizmente não podemos escrever muito aqui. Para ler o resto, visitem nosso blog: www.bahiamalte.com.br/blog/
Você faz cerveja? Pretende aprender? Acompanhe nossas dicas sobre como fazer receita, hoje falaremos sobre lúpulo! 
Existe uma enorme variedade de lúpulos e a cada ano surgem mais resultados de novos cruzamentos. Algumas das características que os cervejeiros buscam nos lúpulos são: floral, cítrico, frutado, amadeirado, dentre outros. Encontramos para comprar em 3 formas: em flor, peletizado ou extrato. Sendo o peletizado o mais recomendável.

Para escolha dos lúpulos ideais, procure obter variedades utilizadas tradicionalmente no tipo de cerveja que deseja fazer. Normalmente os lúpulos utilizados são os encontrados nas regiões de origem do estilo. Lúpulos ingleses em cervejas inglesas, americanos nos estilos americanos etc. O lúpulo assim como a uva, possui “terroir”, ou seja, sua região de origem tem grande influência em suas características. 
Você deverá se preocupar com três parâmetros ao definir a lupulagem: amargor, sabor e aroma.
A unidade de medida de amargor é o IBU (International Bittering Units). Embora hoje em dia o IBU seja questionado por não oferecer uma precisão no resultado, para iniciantes ainda é recomendável que se baseie por ele como direcionamento da receita. Mas a análise sensorial do resultado é o que mais importa, então esteja preparado para fazer ajustes nas levas seguintes.  Ao elaborar a receita, pense nas adições de forma a atingir o IBU desejado. Quanto mais tempo submetido ao calor, mais amargor será extraído do lúpulo. O Beersmith ajuda a calcular essas adições. Defina as quantidades e em que etapa da fervura serão adicionados para obter o amargor desejado.

Os óleos essenciais proporcionam aromas e sabores e são muito voláteis. Quanto mais tardia a adição, mais irá favorecer a retenção deles. Procure entender a contribuição dos óleos essenciais presentes em cada lúpulo, myrceno, humuleno, cariofileno, cohumulona, geraniol etc.

Para saber mais sobre os lúpulos na receita, acessem nosso site: www.bahiamalte.com.br
Podem tirar suas dúvidas aqui! 😉
Você faz cerveja? Pretende aprender? Acompanhe nossas dicas sobre como fazer receita, hoje falaremos sobre lúpulo! Existe uma enorme variedade de lúpulos e a cada ano surgem mais resultados de novos cruzamentos. Algumas das características que os cervejeiros buscam nos lúpulos são: floral, cítrico, frutado, amadeirado, dentre outros. Encontramos para comprar em 3 formas: em flor, peletizado ou extrato. Sendo o peletizado o mais recomendável. Para escolha dos lúpulos ideais, procure obter variedades utilizadas tradicionalmente no tipo de cerveja que deseja fazer. Normalmente os lúpulos utilizados são os encontrados nas regiões de origem do estilo. Lúpulos ingleses em cervejas inglesas, americanos nos estilos americanos etc. O lúpulo assim como a uva, possui “terroir”, ou seja, sua região de origem tem grande influência em suas características. Você deverá se preocupar com três parâmetros ao definir a lupulagem: amargor, sabor e aroma. A unidade de medida de amargor é o IBU (International Bittering Units). Embora hoje em dia o IBU seja questionado por não oferecer uma precisão no resultado, para iniciantes ainda é recomendável que se baseie por ele como direcionamento da receita. Mas a análise sensorial do resultado é o que mais importa, então esteja preparado para fazer ajustes nas levas seguintes. Ao elaborar a receita, pense nas adições de forma a atingir o IBU desejado. Quanto mais tempo submetido ao calor, mais amargor será extraído do lúpulo. O Beersmith ajuda a calcular essas adições. Defina as quantidades e em que etapa da fervura serão adicionados para obter o amargor desejado. Os óleos essenciais proporcionam aromas e sabores e são muito voláteis. Quanto mais tardia a adição, mais irá favorecer a retenção deles. Procure entender a contribuição dos óleos essenciais presentes em cada lúpulo, myrceno, humuleno, cariofileno, cohumulona, geraniol etc. Para saber mais sobre os lúpulos na receita, acessem nosso site: www.bahiamalte.com.br Podem tirar suas dúvidas aqui! 😉
Já faz cerveja ou pretende começar? Acompanhe nossas postagens com dicas que vão te ajudar a fazer sua própria receita. O artigo completo esta em nosso blog: www.bahiamalte.com.br/blog/ 
Rapidamente vai perceber que receitas boas são fáceis de encontrar e até mesmo de criar. O desafio é dominar o processo. O processo faz toda a diferença e deve ser o seu foco no início. 
Mas se você já tem algum conhecimento e está louco para brassar sua primeira breja, comece por um estilo que você conhece bem. Para escolher os maltes, faça um levantamento de receitas do estilo que deseja fazer, consulte a internet ou livros, você terá uma ideia dos tipos de maltes que podem ser utilizados e suas proporções. Todas as malterias produzem maltes equivalentes mas as vezes com nomes diferentes. Consulte a tabela de equivalências disponível em nosso Blog.
Trabalhe sempre em percentual, e não em peso. Sempre converta em porcentagem as quantidades de cada malte das receitas que utilizará como referência, assim fica mais fácil adaptar ao volume que pretende produzir. É mais fácil quando você utiliza uma composição de maltes que é utilizado tradicionalmente no estilo. Procure simplificar a sua receita, não coloque variedades de malte a mais se não forem necessárias. Não exagere nos maltes especiais, principalmente nos caramelos, uma composição típica normalmente leva de 85% a 100% de maltes base.
Calcule as quantidades de maltes para atingir a OG (gravidade original) dentro do que o estilo pede. Consulte o guia BJCP, é talvez o guia mais completo de todos. Está disponível parta download em nosso Blog. Quanto mais malte, maior a OG e mais alcoólica ficará a cerveja. Você pode aprender a calcular na mão, mas é bem mais fácil utilizar algum software como o Beersmith (disponível em nossa loja virtual).
Uma dica para determinar as quantidades dos maltes especiais é seguir uma cor de cerveja como objetivo. A unidade de medição de cor pode ser o EBC ou SRM. O guia BJCP também determina a faixa de cor de cada estilo, então você pode calcular ou simular pelo Beersmith a cor que a cerveja vai ter à medida que altera as quantidades de cada malte especial.
Em breve falaremos sobre lúpulos 😁🍻🍻🍻
Já faz cerveja ou pretende começar? Acompanhe nossas postagens com dicas que vão te ajudar a fazer sua própria receita. O artigo completo esta em nosso blog: www.bahiamalte.com.br/blog/ Rapidamente vai perceber que receitas boas são fáceis de encontrar e até mesmo de criar. O desafio é dominar o processo. O processo faz toda a diferença e deve ser o seu foco no início. Mas se você já tem algum conhecimento e está louco para brassar sua primeira breja, comece por um estilo que você conhece bem. Para escolher os maltes, faça um levantamento de receitas do estilo que deseja fazer, consulte a internet ou livros, você terá uma ideia dos tipos de maltes que podem ser utilizados e suas proporções. Todas as malterias produzem maltes equivalentes mas as vezes com nomes diferentes. Consulte a tabela de equivalências disponível em nosso Blog. Trabalhe sempre em percentual, e não em peso. Sempre converta em porcentagem as quantidades de cada malte das receitas que utilizará como referência, assim fica mais fácil adaptar ao volume que pretende produzir. É mais fácil quando você utiliza uma composição de maltes que é utilizado tradicionalmente no estilo. Procure simplificar a sua receita, não coloque variedades de malte a mais se não forem necessárias. Não exagere nos maltes especiais, principalmente nos caramelos, uma composição típica normalmente leva de 85% a 100% de maltes base. Calcule as quantidades de maltes para atingir a OG (gravidade original) dentro do que o estilo pede. Consulte o guia BJCP, é talvez o guia mais completo de todos. Está disponível parta download em nosso Blog. Quanto mais malte, maior a OG e mais alcoólica ficará a cerveja. Você pode aprender a calcular na mão, mas é bem mais fácil utilizar algum software como o Beersmith (disponível em nossa loja virtual). Uma dica para determinar as quantidades dos maltes especiais é seguir uma cor de cerveja como objetivo. A unidade de medição de cor pode ser o EBC ou SRM. O guia BJCP também determina a faixa de cor de cada estilo, então você pode calcular ou simular pelo Beersmith a cor que a cerveja vai ter à medida que altera as quantidades de cada malte especial. Em breve falaremos sobre lúpulos 😁🍻🍻🍻
Você faz cerveja? Pretende aprender? A Primeira verdade que você precisa saber: você é capaz de fazer qualquer cerveja. Mas para isso deve trilhar um caminho de pesquisa e conhecimento, e a primeira dica que gostaria de sugerir: se você está entrando no mundo das cervejas artesanais e ainda não conhece sobre os estilos de cervejas, leia sobre as principais escolas cervejeiras do mundo: Alemã, Inglesa, Americana e Belga.

É uma leitura agradável onde vai aprender um pouco de história e as razões pelos quais as cervejas são daquele jeito. Descobrirá o que as diferencia e ingredientes que costumam utilizar. Perceberá que cada estilo de cerveja reflete a história, cultura e tradição de uma região. Procure os documentários do famoso Michael Jackson: The Beer Hunter (não é o cantor pop). Estão disponíveis no youtube. A qualidade do vídeo é baixa mas o conteúdo é excelente. Ou se preferir um livro, procure o
Você faz cerveja? Pretende aprender? A Primeira verdade que você precisa saber: você é capaz de fazer qualquer cerveja. Mas para isso deve trilhar um caminho de pesquisa e conhecimento, e a primeira dica que gostaria de sugerir: se você está entrando no mundo das cervejas artesanais e ainda não conhece sobre os estilos de cervejas, leia sobre as principais escolas cervejeiras do mundo: Alemã, Inglesa, Americana e Belga. É uma leitura agradável onde vai aprender um pouco de história e as razões pelos quais as cervejas são daquele jeito. Descobrirá o que as diferencia e ingredientes que costumam utilizar. Perceberá que cada estilo de cerveja reflete a história, cultura e tradição de uma região. Procure os documentários do famoso Michael Jackson: The Beer Hunter (não é o cantor pop). Estão disponíveis no youtube. A qualidade do vídeo é baixa mas o conteúdo é excelente. Ou se preferir um livro, procure o "Cervejas Brejas & Birras" do Mauricio Beltrameli, ou a "A Mesa do Mestre Cervejeiro" do Garret Oliver. Existem vários outros livros muito bons, mas recomendo esses dois para iniciar. Então, porque conhecer os estilos de cerveja é importante? Em cada lugar do mundo, ao longo de séculos, cervejeiros foram aprimorando receitas que refletiam o gosto da população local, milhares de tentativas e erros devem ter acontecido até chegar naquele ponto de equilíbrio que define o estilo. Portanto, não devemos menosprezar os estilos, vamos aprender com eles. Existem catalogados mais de 130 estilos de cerveja diferentes. Leia a continuação em nosso blog: www.bahiamalte.com.br/blog/ Podem tirar suas dúvidas aqui que respondemos 😁👍🍻🍻🍻

ONDE NOS ENCONTRAR:

Endereço: Travessa Basílio de Magalhães, 23, Rio Vermelho, Loja Térreo, Salvador-BA. CEP: 41940090

HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO

Segunda a Sexta: 8:00h às 18:00h

Sábados: 8:30h às 14:00h.

INFORMAÇÕES ÚTEIS

Equipe de vendas:
[email protected]

Quer ser nosso fornecedor? [email protected]

Telefone Fixo: 55 71 3043 6359

WhatsApp: 55 71 99341 3706

CNPJ: 22.013.439/0001-91

MANDE UMA MENSAGEM